sem respeito, não há democracia

16.10.18



Quando pensamos em democracia, geralmente pensamos que é o poder que o povo tem sob o governo ou as escolhas que o governo irá tomar, mas não é apenas isso que a democracia cobre.
Quando pesquisamos, vemos que democracia é um regime em que há liberdade de associação e de expressão e na qual não existem distinções ou privilégios de classe hereditários ou arbitrários.
Vemos que há liberdade para sermos o que queremos ser e pensarmos com a nossa própria cabeça, mas quando deixamos de viver a democracia e invadimos o pensamento do outro com as nossas ideias e exigimos que elas sejam superiores, deixamos de viver a liberdade que tanto lutamos para conquistar.
A democracia não faz distinção do seu dinheiro, do seu cargo em um trabalho, do seu poder, da sua orientação sexual ou religião, pelo menos não era para fazer.
Lutamos para conquistar liberdade e essa mesma liberdade que nos encanta e faz com que o nosso país seja um bom lugar para viver, é a liberdade que todos sem exceção deveriam conhecer.
Não importa se você não gosta do que o outro pensa ou da maneira que ele vive você deve respeitá-lo e respeitar a liberdade que ele tem, assim como você tem a sua.
Estamos cegos com tanto ódio ao outro e esse mesmo sentimento que só cresce, diminui o amor das nossas vidas. Deixamos de falar com as pessoas, brigamos com amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos em prol da liberdade e de uma vida justa e tranquila, mas o que é a liberdade quando você vive apenas com os seus ideais e semeando ódio para as outras pessoas?
Não precisamos amar o que as pessoas acreditam, mas podemos amar as pessoas e respeitar todos, mesmo sem concordar. 
 
- hate em português: ódio -

Ultimamente tenho visto na internet um grande número de pessoas a favor da resistência e do ato de resistir até conquistar um governo melhor, um país melhor e oportunidades melhores. Um grande exemplo de resistência foi Martin Niemoller, ele era um pastor luterano alemão que viveu na Alemanha Nazista e ele escreveu um poema durante essa época que me faz pensar muito sobre a liberdade e o que perdemos quando a perdemos, ele diz assim: 
"Primeiro, os nazistas vieram buscar os comunistas, mas, como eu não era comunista, eu me calei. Depois, vieram buscar os judeus, mas, como eu não era judeu, eu não protestei. Então, vieram buscar os sindicalistas, mas, como eu não era sindicalista, eu me calei. Então, eles vieram buscar os católicos e, como eu era protestante, eu me calei. Então, quando vieram me buscar... Já não restava ninguém para protestar."

Martin se esqueceu que mesmo sendo de um grupo seleto, ele também fazia parte de um grupo muito maior do que qualquer coisa, ele era um ser humano e precisava defender as pessoas independente do que elas acreditavam. 
Não se cale, lute por um país melhor, por respeito para todas as pessoas, esqueça o ódio que você ou qualquer pessoa semeia. Nós todos queremos apenas uma coisa e mesmo que a desejemos de maneiras diferentes, podemos conquistá-la juntos. 
Juntos pela democracia e pelo respeito para todos.

Com amor, 
Erika Murito.

Talvez você goste disso aqui

4 comentários

  1. Erika, que texto incrivel <3

    Me tocou de certa forma esse trecho do Martin, gostei do jeito que escreveu <3

    Beijos.

    Vitoriamartini.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vi!!! Obrigada pelo carinho, eu amo esse trecho do Martin também. Que ele nos inspire cada vez mais :) Beijos

      Excluir
  2. Impactada com o poema. Me fez pensar muito sobre as minhas posições nesses tempos...

    Elisa Alecrin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Elisa, fico extremamente feliz que isso te ajudou de alguma forma. 💛

      Excluir

Obrigada por dar a sua opinião, ela é importante! ❥

facebook

instagram